Central de Ajuda - ÚnicoNET

ÚnicoNET Sistemas ❱ Dicas Úteis

Comandos IP de redes no Windows

Alguns comandos podem ser executados a partir de uma janela DOS do prompt de comando. Conhecê-los é fundamental para configurar redes e solucionar problemas mais simples no Windows. 


Às vezes, é útil e necessário conhecer os comandos IP para analisar e configurar nossa rede TCP/IP. Veja a lista desses comandos para utilizar no prompt de comando.


Como abrir o prompt de comando

O prompt de comando é uma ferramenta que permite emitir comandos ao Windows. Para abrir o prompt em PCs rodando com Windows 10, basta digitar cmd na barra de pesquisa do menu Iniciar. Depois, na coluna à direita, clique em Executar como administrador:


Também é possível clicar em Abrir, quando o comando é mais simples e não exige privilégios de administrador. 


Ping

PING: teste a conexão com um endereço IP remoto:


ping -t [IP ou host]
ping -l 1024 [IP ou host]

A opção -t permite fazer pings contínuos, para parar pressione as teclas CtrlC. Se você definiu a opção -t, você pode obter a qualquer momento as estatísticas, sem interromper as solicitações ping, pressionando as teclas CtrlAlt (ou ‘Ctrl’ + ‘Pausa’). Esse comando é útil para gerar uma carga de rede que especifica o tamanho do pacote com a opção -l e o tamanho do pacote em bytes.

Traceroute

Traceroute: mostra todos os endereços IP intermediários pelos quais passa o pacote entre a máquina local e o endereço IP específico. Esse comando é útil se o comando ping não tiver resposta para estabelecer o nível de falha da conexão:


tracert [@IP ou nome do host]
tracert -d [@IP ou nome do host]

IPconfig

IPconfig: exibe ou atualiza a configuração de rede TCP/IP:


ipconfig /all] [/release [placa]] [/renew [placa]] [/flushdns] [/displaydns] [/registerdns] [-a] [-a] [-a]

Esse comando, executado sem opção, exibe o endereço IP em andamento, a máscara da rede assim como a Gateway padrão das interfaces de rede conhecidas na máquina local:


/all: mostra toda a configuração da rede, incluindo os servidores DNS, WINS, bail DHCP, etc;


/renew [placa]: reconfigura o DHCP de todas as placas (se uma placa não foi especificada) ou de uma placa específica com o parâmetro placa. O nome da placa é o que figura no ipconfig sem parâmetros;


/release [placa]: manda uma mensagem DHCPRELEASE para o servidor DHCP a fim de liberar a configuração DHCP atual e anular a configuração IP de todas as placas (se alguma não foi configurada) ou de apenas uma determinada placa, se você usar o parâmetro da placa. Esse parâmetro desativa o TCP/IP das placas configuradas a fim de obter, automaticamente, um endereço IP;


/flushdns: esvazia e reinicia o cache de resolução do cliente DNS. Esta opção é importante para remover as entradas de cache negativas assim como todas as outras adicionadas de maneira dinâmica;


/displaydns: permite ver o cache de resolução do cliente DNS, que inclui as entradas pré-carregadas a partir do arquivo do host local bem como todos o registros de recursos recentemente obtidos pelas solicitações de nomes dados pelo computador. O serviço cliente DNS usa esses dados para resolver rapidamente os nomes frequentemente solicitados, antes de interrogar seus servidores DNS configurados;


/registerdns: atualiza todos as concessões DHCP e volta a registrar os nomes de DNS.

NetStat

NetStat: exibe o estado da pilha TCP/IP na sua máquina local:


NETSTAT [-a] [-e] [-n] [-s] [-p proto] [-r] [intervalo]

Opção -a: exibe todas as conexões e portas de escutas. Normalmente, as conexões do lado do servidor não aparecem;


Opção -e: mostra as estatísticas Ethernet e pode ser combinada com a opção -s;


Opção -n: exibe os endereços e os números de portas em formato numérico;


Opção -p proto: mostra as conexões do protocolo especificado por proto. O proto pode ser TCP ou UDP. Utilizado com a opção -s para exibir as estatísticas por protocolo, pode ser TCP, UDP, ou IP;


Opção -r: exibe o conteúdo da tabela do roteamento;


Opção -s: exibe as estatísticas por protocolo. Por padrão, as estatísticas em TCP, UDP e IP são visualizadas;


Opção -p: pode ser utilizada para especificar um subconjunto de valores padrão;


intervalo: exibe novamente as estatísticas selecionadas, com uma pausa de intervalo de segundos entre cada exibição. Pressione as teclas CtrlC para parar a exibição das estatísticas;


Opção -abnov: exibe os processos que utilizam a conexão internet (endereço IP, porta, endereço remoto e o PID do processo que utiliza a conexão, bem como seu nome).

Route

Route: exibe ou modifica a tabela do roteador:


ROUTE [-f] [comando [destino] [MASK máscara de rede] [gateway]

Opção -f: apaga as tabelas de roteamento de todas as entradas das gateways. Utilizado com outro comando, as tabelas são apagadas antes da execução do comando;


Opção -p: volta para a entrada da tabela depois de reiniciar o computador;


Comando especifica um dos quatro comandosDELETE apaga um caminho, PRINT imprime um caminho, ADD adiciona um caminho, CHANGE modifica um caminho existente;


Destino: especifica o hóspede;


MASK: se a palavra chave MASK estiver presente, o parâmetro seguinte é interpretado como o parâmetro da máscara de rede;


Máscara de rede: se fornecida, ela especifica o valor da máscara de sub-rede associado a esse caminho. Se não especificada, ela assume o valor padrão 255.255.255.255;


Gateway: especifica a Gateway;


METRIC: especifica o custo métrico para o destino.

Arp

ARP: resolução de endereços IP em endereços MAC. Exibe e modifica as tabelas de traduções dos endereços IP em endereços físicos utilizados pelo protocolo de resolução de endereços (ARP):


ARP -s adr_inet adr_eth [adr_if]
ARP -d adr_inet [adr_if]
ARP -a [adr_inet] [-N adr_if]

Opção –a: exibe as entradas ARP interrogando o protocolo de dados ativos. Se adr_inet estiver especificado, só os endereços de IP e físicos do computador especificado serão mostrados. Quanto mais uma interface de rede utilizar o ARP, mais as entradas de cada tabela ARP serão exibidas;


Opção -g: idêntica a –a;


Opção adr_inet: especifica um endereço internet;


Opção -N adr_if: mostra as entradas ARP para a interface de rede especificada por adr_if;


Opção -d: apaga o hóspede específico por adr_inet;


Opção -s: acrescenta ao hóspede e associa o endereço Internet adr_inet ao endereço físico adr-eth. O endereço físico é dado sob forma de 6 bytes hexadecimais separados por scripts. A entrada é permanente;


Opção adr_eth: especifica um endereço físico;


Opção adr_if definida: especifica o endereço Internet da interface cuja tabela de tradução de endereços deveria ser modificada. Não definida, a primeira interface aplicável será utilizada.

NbtStat

NbtStat: atualização do cache do arquivo Lmhosts. Ele permite ver as estatísticas do protocolo e as conexões TCP/IP atuais utilizando NBT (NetBIOS em TCP/IP):


NBTSTAT [-a Nome Remoto] [-A endereço IP] [-c] [-n] [-r] [-R] [-s] [S] [intervalo]

Opção –a (estado da placa): lista da tabela de nomes da máquina distante (nome conhecido);


Opção -A (estado da placa): lista da tabela de nomes da máquina distante (endereço IP);


Opção -c (cache): lista o cache de nomes remotos incluindo os endereços IP;


Opção -n (nomes): lista os nomes NetBIOS locais;


Opção -r (resolvidos): lista os nomes resolvidos por difusão e via Wins;


Opção -R (Carga): esvazia e carrega a tabela do cache de nomes remotos;


Opção -S (Sessões): lista a tabela de sessões com os endereços destino IP;


Opção -s (sessões): lista a tabela de sessões convertendo os endereços de destino IP em nomes de hóspedes pelo arquivo host.


Exemplo: 

nbtstat -A @IP

.


Esse comando envia o nome NetBIOS, nome do sistema, os usuários conectados.... do computador remoto.

Telnet

Telnet: permite acessar, no modo Terminal (tela passiva), um host remoto:


telnet <IP ou host>
telnet <IP ou host> <porta TCP>

Esse comando também permite ver se um serviço TCP funciona em um servidor distante especificado pelo endereço IP e o número da porta TCP. Desse modo, podemos verificar se o serviço SMTP, por exemplo, roda em um servidor Microsoft Exchange utilizando o endereço IP do conector SMTP e na porta número 25. As portas mais comuns são:


ProtocoloPorta
FTP21
TELNET23
SMTP25
WWW80
KERBEROS88
POP3110
NNTP119
NBT137-139

Hostname

Hostname: mostra o nome da máquina.

Ftp

FTP: cliente de download de arquivos: 

ftp -s:<file>

.


Opção –s: esta opção permite executar um FTP no modo batch, ela especifica um arquivo de textuo contendo os comandos FTP.

NsLookUp

NsLookUp: envia solicitações DNS para um servidor DNS: 

nslookup [domínio] [servidor dns]

.


O comando NsLookUp permite enviar solicitações DNS para um servidor. Por padrão, se você não colocar o servidor DNS, o comando usará aquele que é utilizado pela sua interface de rede, mas você pode forçar a utilização de outro servidor.


Por exemplo, para pedir ao servidor DNS 10.0.0.3 o endereço IP correspondente ao endereço www.ccm.net, insira 

nslookup www.ccm.net 10.0.0.3

.


Se você não especificar nenhum parâmetro para o nslookup, um shell se abrirá em modo de espera de solicitações vindas de sua parte.

NetSh

NetSh: configura a rede no Windows.